Lockdown: O que é e como funciona?

Lockdown: O que é e como funciona?

Algumas cidades do Brasil já estão adotando este sistema de Lockdown. Mas o que isso significa? O que funciona e o que deixa de funcionar nesta situação? Confira abaixo:

O que é?

É o fechamento mais rígido em torno dos estabelecimentos e do isolamento social, com mais fiscalização e controle, além de consequências mais severas para quem burlar as regras em comparação com a quarentena que está sendo aplicada. Mesmo serviços essenciais, como supermercados, por exemplo, podem sofrer restrição de funcionamento. Além disso, o fechamento de vias públicas de maior concentração e a limitação na circulação de veículos e pessoas são medidas que já foram implementadas em diversos locais. No Maranhão, a capital, São Luís, e mais três cidades estão em bloqueio total desde o dia 5, com previsão de dez dias de duração para a medida. Lá, houve proibição de circulação de veículos particulares, exceto para compra de alimentos ou medicamentos e para transporte de pessoas para atendimento de saúde, desempenho de atividades de segurança ou carros no itinerário de trabalhadores de serviços essenciais.

Por que é importante e quais os critérios? 

Segundo parecer técnico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o lockdown é fundamental para deter o colapso total do sistema público de saúde, evitando milhares de mortes. Segundo Rivaldo Venâncio, coordenador de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência da Fiocruz, há uma conjunção de fatores que determinam a necessidade da sua implementação, incluindo a crise econômica de antes da pandemia e a já deficitária rede de atendimento de saúde. Ele explica que as medidas da quarentena já atingiram o seu limite e que ações mais efetivas são necessárias neste momento.

– Nós já vinhamos de uma crise econômica e temos um problema anterior a Covid-19 de desigualdade social, que impede que muitas pessoas consigam seguir as práticas de isolamento, e as limitações já históricas do nosso sistema de saúde. Diminuir a taxa de contágio é essencial neste momento para que a gente possa se preparar para atender todos os doentes.

Onde já foi adotado? 

O lockdown, por enquanto, acontece apenas nos estados do Pará e Maranhão. No Rio, os governos estadual e municipal estudam adotar a medida após parecer técnico da Fiocruz que recomenda controle ainda mais rígido. Países como China, Itália, Espanha, França e Alemanha também implementaram a ação em alguns locais. No Pará, as medidas incluíram fechamento dos limites dos municípios, exceto para transportes de abastecimento de produtos e trânsito de profissionais essenciais, e preveem, em caso de desrespeito, advertências e multas de R$ 150 para pessoas físicas e R$ 50 mil para pessoas jurídicas. Mesmo em locais onde o lockdown não foi decretado, houve mudanças. No Ceará, foram implementadas regras mais rígidas de isolamento social. Na capital paulista, o rodízio de veículos foi ampliado, aumentando a restrição de carros. No Rio, bairros como Bangu e Campo Grande, na Zona Oeste, tiveram áreas fechadas.

O que continua funcionando? 

Apenas serviços essenciais. Emergências de hospitais e farmácias podem continuar funcionando sem limitações. Supermercados e mesmo os serviços de delivery podem sofrer restrições de horário e funcionamento, inclusive para a proteção dos entregadores. Outros estabelecimentos que estavam autorizados a funcionar, como lojas de material de construção, por exemplo, deverão fechar.

Quando posso sair?

Apenas para realização de atividades essenciais, que são, basicamente, ida ao supermercado, farmácia ou hospital, em caso de emergência ou necessidade. Mas essas situações, e os comprovantes correspondentes, só serão conhecidas quando o decreto for publicado. Por exemplo, um comprovante de residência para mostrar que foi ao supermercado perto de casa pode ser o documento exigido. A Carteira de Trabalho, que já está sendo adotada em algumas situações, pode ser usada para mostrar a natureza essencial do ofício. Praticar atividades ao ar livre e passear com cachorros, que não eram recomendáveis, passam a ser atividades proibidas durante o lockdown. Agentes de fiscalização podem exigir a comprovação da necessidade de estar na rua. Alguns países implementaram uma autorização oficial, que prestadores de serviços essenciais poderiam usar para comprovar sua situação.

Quais os cuidados ao sair?

Usar a máscara é fundamental, higienizar as mãos e se manter a pelo menos 1,5 metro de distância de outras pessoas continuam valendo como forma de proteção.

Leve seu documento.

Especialistas alertam: quando sair, leve sempre um comprovante de residência ou documentação que prove a necessidade de sair de casa. Se você é prestador de algum serviço essencial, tenha Carteira de Trabalho sempre com você.  Se está indo na farmácia ao lado de casa, tenha comprovante de residência e nota fiscal. Guardas e outros agentes de fiscalização podem exigir a comprovação.

Quando ir ao hospital? 

Lembre-se de que os hospitais estão cheios e a possibilidade de se contaminar é maior nesses locais que concentram os doentes. Especialistas da área de saúde recomendam: consulte seu médico antes para saber da necessidade de ir aos locais de atendimento. Pacientes que fazem tratamento continuado, como quimioterapia, em geral, não devem interromper as sessões, mas é preciso consultar o seu médico sempre antes de sair de casa.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Iniciar conversa
Podemos ajudar?